Comunidade Pataxó Hãhãhãe da TI Caramuru-Paraguaçu denuncia abusos da Polícia Federal

Direto de Salvador (BA): acredito que essa denúncia merece investigação. A nossa imprensa não cobre conflitos de terra entre indígenas e fazendeiros – até quando?

***
A comunidade Pataxó Hãhãhãe tomou conhecimento de que o comandante que está conduzindo as operações da Policia Federal na Terra Indígena Caramuru-Paraguaçu foi o mesmo policial que atirou na perna de um indígena da comunidade Tupinambá de Olivença. O indígena teve que se submeter a operação de amputação de sua perna em razão deste tiro. A operação da Policia Federal na área Tupinambá foi considera pelos indígenas e por todas as organizações indigenistas, assim como de direitos humanos, como abusiva e extremamente autoritária.

Recebemos também a notícia de que a Polícia Federal esteve agora pela tarde em uma das áreas recentemente ocupada da Terra Indígena Caramuru-Paraguaçu, onde está instalada a “fazenda” Oriente, acompanhada do “dono” da “fazenda” e seus “funcionários” revistando as coisas dos indígenas sob alegação de que estavam buscando objetos roubados pelos indígenas. Chegaram à área dizendo que os indígenas haviam roubado os pertences dele (o fazendeiro). A polícia os acompanhando deixou o fazendeiro e seus “funcionários” à vontade para revirar as sacolas etc. dos indígenas. A Polícia Federal junto com o fazendeiro obrigaram a indígena Maria Souza Melo que estava na área a assinar um documento do qual ela não tinha nenhum conhecimento do conteúdo, em flagrante infração à lei.

A comunidade Pataxó Hãhãhãe está revoltada diante dos fatos narrados, e considerando que a operação da Policia Federal está criando mais insegurança para a comunidade e aumentando a violência contra os indígenas, solicia a imediata substituição dos policiais federais e de seu comandante.

Salvador, 03 de março de 2012

Samuel Wanderley e Olinda Muniz Wanderley
Correspondentes dos Pataxó Hãhãhãe em Salvador

Anúncios