Agora que a eleição passou…

Agora que a eleição passou vamos botar as boas críticas na mesa? Só não vale me chamar de direitista, nem insinuar que eu “faço a esquerda que a direita gosta”. Agora é hora de ser povo, não de ser partido político. Vamos exercer nosso papel de cidadão!

Política econômica
E essa política econômica, vai continuar beneficiando só os banqueiros até quando? É a Selic, é o cassino internacional (pronto, agora to parecendo militante do PSTU, rs). Mas na boa: vamos discutir uma saída política decente pro nosso país, na área econômica? Aqui parece que rola uma ditadura do Banco Central! Os caras se acomodaram com a “inflação controlada”, como se isso bastasse. Nada mais importa? Não se permite pensar em algo diferente, como se saquear o país e privilegiar apenas aquela velha minoria de sempre fosse algo inevitável. Será que é inevitável mesmo? Será que nossos economistas são tão ruins assim que só conseguem criar planos que desvalorizem os trabalhadores daqui?

E a taxação das grandes fortunas? É um projeto de lei que deveria ser prioridade dos nossos congressistas. Acho incrível o silêncio da mídia sobre esse tema tão urgente e, ao mesmo tempo, tão prosaico. Parece tão simples, tão fácil de construir um consenso sobre isso – é simples pensar que os muito-muito ricos paguem mais impostos do que os pobres (e aqui eu incluo a classe média como pobre! veja bem, a taxação de grandes fortunas é pra quem tem grande fortuna mesmo).Que conspiração é essa que existe nesse país pra esse tema nunca entrar na pauta de nenhum jornal/programa jornalístico/engraçaralho do momento? Por que o nosso congresso não se move nessa direção com a mesma paixão (real e sincera) com que foi votada aquela lei (fajuta) da ficha limpa?

Parecem temas distintos, mas ambos estão interligados: afinal, quando é que a gente vai criar um consenso sobre o assalto que as elites fazem à população desse país? Ou vocês acreditam mesmo que a classe média se beneficia dessa conjuntura? Que nada. A classe média está de saco cheio disso aí também. É só você informar e esclarecer adequadamente essa parcela da população que logo todos vamos chegar a essa conclusão: basta! Basta de favorecer os mesmos grupos obscenamente ricos. Não precisa ser socialista pra criticar esse estado de coisas. Basta ter um pouco de bom senso pra se indignar com essas discrepâncias.

Reforma agrária
Minha gente, o Lula ficou 8 anos no poder e nada, nada andou em termos de reforma agrária. Quando é que vai rolar uma reforma agrária de verdade por essas bandas? Será que falta mesmo capital político pra isso? Quem, em tempos atuais, é contra a reforma agrária? Até empresário que lida com monocultura pra exportação deveria ser a favor da reforma agrária. Por uma visão estratégica de negócio, nossos empresários deveriam investir em peso em agricultura orgânica e ecológica. Esse é o diferencial de mercado do momento, essa é a tendência mundial, aumentar o consumo de orgânicos! É mais saudável! É viável! E o Brasil vai seguir campeão no uso de agrotóxico assim, sem ninguém falar nada, sem ter uma reportagem de peso na televisão? A gente vai continuar indo na feira comprar comida achando que tá levando pra casa verdura fresca quando na verdade há uma grande probabilidade daqueles legumes terem tomado uma lufada de veneno da plantação vizinha?!

Gente, a Monsanto é apenas uma empresa. Ela pode comercializar sua tecnologia, mas o Brasil é maior do que isso! A gente não pode simplesmente se entregar apenas a ela, cadê a livre concorrência? Onde estão os nossos pesquisadores? Precisamos desiludir a classe média. A classe média formadora de opinião deveria ser devidamente informada sobre essas coisas. A gente devia trabalhar pro consenso, qual é a dificuldade de formar um consenso sobre o uso do nosso solo pra uma agricultura de ponta, com técnicas agroecológicas e tudo o mais? Qual é a dificuldade de fazer com que o povo que trabalha na terra, em agricultura familiar, seja reconhecido? E a valorização dos nossos produtos?

Minorias que são maiorias
Vamos abrir os arquivos da ditadura né? Já passou da hora. É uma dívida que o país tem com as futuras gerações. Vamos esclarecer nosso passado obscuro, afinal, “o sol é o melhor desinfetante”. Que todos saibam o que aconteceu para que tempos obscuros como aqueles nunca mais voltem. Vamos fazer políticas para as mulheres! Caramba, elas têm mais escolaridade e mesmo assim ainda ganham menos que os homens com a mesma função. Se isso não é desigualdade, o que é? E o combate ao racismo? E o combate à homofobia? E as leis de inclusão para pessoas com deficiência? Se você somar cada um desses grupinhos verá que é uma multidão! E as demandas dessa multidão não trazem prejuízos para o todo. O que você perde por defender essa galera? Nada. Ao contrário: você ganha respeito, dignidade, civilidade. Todos querem viver num país livre de preconceito, ok?

E por falar em país livre de preconceito, quando é que vão legislar sobre os meio de comunicação? Esses meios que por vezes jogam água no moinho dos preconceitos, impunemente. Quando é que a gente vai ter um debate sereno sobre a liberdade de comunicação?

Ah. Acho que esse é o único assunto em que eu reconheço: dificílimo conseguir algum consenso. Afinal, discutir comunicação significa discutir poder e todo mundo tem medo de mexer no status quo. Todo mundo acha que a atual liberdade é tão sagrada que qualquer coisa pra melhorá-la é percebida como uma ameça, como uma volta a um padrão de censura. As pessoas têm sérias dificuldades intelectuais de dar um salto para uma comunicação mais complexa, em que as pessoas sejam livres para se comunicarem mas principalmente para se responsabilizarem pelo que dizem. E é isso o que está faltando hoje. Gente que se responsabiliza pelo que diz.

Bem. O post ficou imenso. Tudo bem! O intuito era desabafar mesmo. Parabéns se você chegou até aqui. Talvez eu volte para destrinchar melhor esses tópicos. O ideal seria eu lincar as matérias que andei lendo sobre esses temas, mas to sem tempo agora. Enfim. Comenta aí! Agora vou nessa. Abraços.

Anúncios