Ato fora Gilmar Mendes e as novas mídias

Na noite do dia 6 de maio a Praça dos Três Poderes se iluminou em Brasília: cerca de 300 pessoas acenderam mais de 5 mil velas em protesto contra a escuridão do judiciário brasileiro, provocada e mantida pelo autoritarismo do excelentíssimo ministro Gilmar Mendes. O ato “Fora Gilmar” foi amplamente divulgado em blogs, redes de relacionamento e sites alternativos. A maioria das pessoas que participaram da manifestação ficaram sabendo do evento por esses canais.

Essa utilização das novas mídias para a realização de protestos revela a um só tempo a força e a fragilidade da internet. Se por um lado as 300 pessoas ali presentes estavam bem informadas sobre a manifestação, por outro só a internet não foi capaz de atingir outros milhares de brasileiros que certamente também engrossariam o protesto, se soubessem que ele iria acontecer.

Durante o ato, uma rede de blogueiros exibiu ao vivo o protesto. Vídeos e fotografias do ato já estão se multiplicando na internet: a grande imprensa não poderá mais ignorar protestos desse teor. Aos poucos a internet vai ocupando seu espaço – é questão de tempo para que as novas mídias tornem protestos como o “Fora Gilmar Mendes” cada vez mais acessíveis.

Veja a seguir um vídeo sobre o ato “Fora Gilmar Mendes”.

Em tempo:

1. O protesto não foi promovido pelo PSOL e sim por uma articulação de entidades e de pessoas físicas que se irmanam na vontade de tirar o Gilmar Mendes do STF. Sim, haviam militantes do PSOL no ato, assim como haviam católicos, vegetarianos, ciclistas, petistas, crianças… O problema é que os militantes do PSOL têm essa carência, essa necessidade de querer aparecer mais do que os católicos, frentistas, açougueiros, petistas e crianças em geral.

2. A idéia é continuar promovendo protestos. Este blog vai acompanhar essa movimentação pela saída do Ministro Gilmar Mendes.

Anúncios

9 comentários sobre “Ato fora Gilmar Mendes e as novas mídias

  1. É próprio dos partidos tentar aparecer. Os grandes partidos frequentam a media pra exposição de ideias. Os pequenos precisam aproveitar os espaços que surgem na sociedade. Alguns usam igrejas, com as quais colaboram, outros usam movimentos sociais, com os quais colaboram.

    Eu não concordo com o partido tentar dar a linha sozinho nem com bandeiras, em alguns atos (como o #foragilmar), desde que previamente combinado.

    Verdade que ainda assim há quem possa não gostar dessa tática. Evidente que não gostam, pois se gostassem estariam num partido, não independentes.

    Mas além de avaliar a conduta de um grupo pela vontade de aparecer, que tal tentar analisar o lado da colaboração?

    • Até concordo com você Conrado!

      Mas vamos combinar: a bandeira do Psol serviu de bucha pra muito articulista da grande imprensa descaracterizar o caráter plural e apartidário do movimento pela saída do Gilmar Mendes. Ou seja: a bandeira enfraqueceu a unidade do movimento, enfraqueceu a causa. Creio que os partidos menores precisam reavaliar suas estratégias de comunicação pois desse jeito perdem credibilidade e só conquistam a antipatia das pessoas sérias.

      Volte sempre!

      • Evidentemente pode ter afastado um ou outro anarquista, um ou outro neocon. Mas não sei se “enfraqueceu a causa”.

        De todo modo, #ficadica: se não querem bandeira no próximo ato, definam antes e deixem claro.

        Voltarei!

  2. Esse cachoro do gilmar mendes, me prejudicou concedendo uma liminar para um aposentado me demitisse do meu emprego. O aposentado entrou com ação anulatória com pedido liminar, o Juiz da comarca negou, entao foi interposto agravo de instrumento ao tribunal do estado contra essa negatória liminar. O relator no tribunal negou a concessao liminar. A parte entao impetrou reclamação junto ao STF, obtendo a liminar pleiteada e negada pelo Juiz e Tribunal. Ora, qualquer advogado sabe que o agravo de instrumento nesse caso nao julgou o mérito, nao adentrou na questao se o aposentado tinha ou nao direito de retorno ao cargo, mediante a declaracao de nulidade de seu ato de aposentadoria, datado de oito anos e meio antes (prescrito pois que quinquenal o prazo prescricional), sendo portanto incabível a reclamação, posição esta do procurador geral da união, que deu parecer pela improcendência da reclamação. Mas este homem que destrói a imagem do judiciário deste país, nao observou juridicamente nada, só seus próprios interesses.

  3. Realmente, quando o Ministro Joaquim disse dos “capangas do gilmar do matro grosso”, pensei que só as pessoas próximas ao matro grosso solbessem das ações dele nas terras invadidas, compras por terceiros investidores e garantidas pelo Ministro corrupto gilmar, quanto a legalização e desocupação dessas terras compras por ninharia e posteriormente vendidas pelo valor de mercado, já regularizadas através de decisoes judiciais e desocupadas por capangas.

  4. O sonho da vovó metralha sempre foi ter um neto no supremo tribunal federal, ela tá de sonho realizado seu neto gilmar metralha tá lá fudendo a mais alta corte do judiciário brasileiro. Acho que só assim pro povo perceber que juízes que se escondem atrás da “livre convicção do juiz” quando desrespeitam a jurisprudencia do STF ou STJ devem ser responsabilizados por seus atos.

Os comentários estão desativados.