O presentinho de Israel

Parabéns Israel! Pela lição de moral que os senhores, líderes de Israel, dão ao mundo. Que belo presente!

Começamos 2009 com mais um derramamento de sangue. Crianças mortas, gente ferida se amontoando nos hospitais com estilhaços de bala, uma bomba foi jogada sobre uma Universidade (e eu nem sabia que o Hamas tinha uma Universidade. Tinha? A quem pertencia a tal Universidade?). Na Faixa de Gaza, pessoas correm assustadas pelas ruas ao menor ruído: afinal, pode não ser uma criança assobiando pela rua, pode ser um míssel! E nunca se sabe onde é que um míssel pode cair.

Atenção! Isso não é um jogo de computador, desses que têm coraçõezinhos brilhantes para representar a vida, e várias vidas pra jogar. Não. É a vida, e é uma só. A vida sofrida de gente comum que se esconde por trás das notícias que circulam deturpadas aqui no Brasil.

Capa da Veja: A guerra Total em Gaza (?!) “Israel ataca radicais em território palestino”. Depois a revista cai numa estranha contradição: “Entre as centenas de mortos, há culpados e inocentes”.

Para a Veja, as pessoas de carne, osso e sangue que moram na Faixa de Gaza são, em primeiro lugar, “radicais”. Depois de “mortas”, são “culpadas” e, só depois, “inocentes”. Ou seja, é a pérola da nossa isenção jornalística. Isso é o que de melhor a nossa maior revista em circulação nacional consegue apresentar em termos jornalísticos.

Parabéns editores e donos da Veja! Pela desumanização em massa que promovem por esse Brasil. Parabéns por estimular nos leitores esse ódio tão doente contra um povo, que, afinal, ainda vive. Ainda chora seus mortos…

Parabéns líderes de Israel! Vocês provaram ao mundo do que são capazes. Que são capazes de matar palestinos crianças, palestinos adultos e palestinos estudantes. Que são capazes de elaborar as mais mirabolantes justificativas para executar sumariamente palestinos desarmados e destruir de espaços públicos.

Gostaria de dizer aos líderes de Israel e ao mundo que, essas linhas não são um clichê barato, nem uma hipocrisia mal dimensionada. São apenas um depoimento irônico, de quem está aqui no Brasil e que, apesar da distância, ainda é capaz de se indignar com medidas tão repugnantes como essas cometidas por líderes de Israel na Faixa de Gaza.

Quero iniciar 2009 me solidarizando com famílias palestinas que perdem entes queridos nessa invasão. E rezando para que os sobreviventes dessas famílias feridas, de terras arrasadas, e sem perspectivas, não caiam na tentação de se tornarem “homem-bomba” em alguma lanchonete de Tel Aviv.

***
Informações sobre o “presentinho” de Israel para a Faixa de Gaza:
http://www.viomundo.com.br

Anúncios